Posts recentes

História ou Lenda

Deixei lá a minha alma!

O ORÇAMENTO PARA GÉNIOS

O PODER DA OPINIÃO

A POBREZA

A ilusão do sonho ...

As Religiões e Deus

O COELHO DA CONSTITUIÇÃO

As Torres Gêmeas

Casa Pia

Arquivos

Abril 2011

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Sábado, 12 de Junho de 2010

Reformas de miséria

Trsiteza, olhos húmidos

Pele enrugada e tez norena

São os nossos reformados

Olho para eles e sinto pena

 

São aos milhares

Esta é a realidade do país

Ser velho é um problema

Não se passa de um infeliz

 

Oh vergonha das vergonhas

Deixa a velhice descansada

Se nada puderes fazer

Esta gente está desgraçada

 

As pessoas vivem até tarde

Dão conta como andaram enganadas

Uma vida de trabalho duro

Recebem reformas que não dão para nada

 

É muito melhor não chegar a velho

Para não dar trabalho a ninguém

Sem saúde e sem dinheiro

Não valem um vintém

 

Mas alguns chegam a velhos

Com reformas abastadas

Têm uma velhice sem problemas

Só que a maioria da mixordia está tramada

 

Se tem dinheiro e saúde

E não incomoda ninguém

Até os filhos os amam

Pelo dinheiro que ai vem

 

Mas se for um doente e teso

A velhice será uma praga

Os familiares alguns ainda ajudam

Outros há que dizem têm a vida estragada

 

No tempo que eu cresci

Os velhos não estorvavam

Eram tratados com carinho

Porque para os jovens eram sábios

 

E não tinham reforma

O pouco que havia era repartido por todos

A vida também era diferente

Faziam parte de um todo

 

Era outro tempo

As mulheres só trabalhavam em casa

Morria se muito mais jovem

E os poucos velhos ficavam em casa

 

Aos 50 anos já se era velho

Vi muita gente partir

Hoje vive se mais tempo

Só que o tempo não pára de fugir

 

Respeito muito os idosos

Pois viveram num tempo

A vida passa a correr

Tratam nos pois como criminosos

 

O país devia ter vergonha

Por todos que o ajudaram a sobreviver

Deviam sentir uma mágoa

Porque amanhã também vêm cá ter

 

Luís Pragana

04/08/09

 

 

publicado por Lausinho às 11:58
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim

Abril 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Sempre a assapar...

blogs SAPO

subscrever feeds