Posts recentes

História ou Lenda

Deixei lá a minha alma!

O ORÇAMENTO PARA GÉNIOS

O PODER DA OPINIÃO

A POBREZA

A ilusão do sonho ...

As Religiões e Deus

O COELHO DA CONSTITUIÇÃO

As Torres Gêmeas

Casa Pia

Arquivos

Abril 2011

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Quarta-feira, 10 de Março de 2010

ARY DOS SANTOS- O POETA

Foi o poeta mais louco

da sua geração

Dava volta à censura 

com loucura e imaginação

 

Vinte cinco anos então passaram

Dessa partida sem volta

Do génio estraviado, mas genial

Maluco, odiado e amado

 

De louco tinha os genes

Da alma saia poesia depravada

Assim dizia as palavras loucas

Era um poeta como a trovoada

 

Deixou cavalos a solta

Com os cornos da desgraça

Tinha choques e capotes

E fazia da tristeza graça

 

E até o inteligente

Este poeta louvou

Deixou obra escrita e canções geniais

Poetas assim nao aparecem já mais

 

Oh Ary onde é que estás oh meu

Estarás de certeza a declamar

Estás no inferno com certeza

Pois nunca te chegaram a castrar

 

Como é a night no inferno

é tão bom como o pintam

E se é verdade que lá há gajas boas

Ou só de admirar um homem fica torrado

 

 

Luís Pragana

10-03-2010

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por Lausinho às 18:22
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim

Abril 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Sempre a assapar...

blogs SAPO

subscrever feeds