Posts recentes

História ou Lenda

Deixei lá a minha alma!

O ORÇAMENTO PARA GÉNIOS

O PODER DA OPINIÃO

A POBREZA

A ilusão do sonho ...

As Religiões e Deus

O COELHO DA CONSTITUIÇÃO

As Torres Gêmeas

Casa Pia

Arquivos

Abril 2011

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Segunda-feira, 1 de Junho de 2009

A árvore dos milhões

 

A ÁRVORE DOS MILHÕES
 
Estava com os azeites
Começou a deitar fora
Do interior da oliveira
Foi saindo muita jorra
 
O tempo já ia longo
Tiveram que a aguentar
E o azeite soltava-se
Teimava em não secar
 
Foi alagando o lugar
Jorrava de tal maneira
Que num loureiro acabou
Por se entranhar
 
Este fio de azeite peganhoso
De oliveiras já velhas
Agarraram-se ao loureiro
Que foi ficando com as folhas amarelas
 
O loureiro bem tratado
Num terreno bem cuidado
Mas as galhas da oliveira
Apanharam-no já está contaminado
 
Robusto como é
Os ramos tenta sacudir
A oliveira peganhenta
Que teima em o consumir
 
Luís Pragana
01-06-2009
 
 



Quantcast

publicado por Lausinho às 10:22
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim

Abril 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Sempre a assapar...

blogs SAPO

subscrever feeds