Posts recentes

História ou Lenda

Deixei lá a minha alma!

O ORÇAMENTO PARA GÉNIOS

O PODER DA OPINIÃO

A POBREZA

A ilusão do sonho ...

As Religiões e Deus

O COELHO DA CONSTITUIÇÃO

As Torres Gêmeas

Casa Pia

Arquivos

Abril 2011

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Tempo

Weather Forecast
Local Contractor Lists in All States of US
Local Contractors
Quinta-feira, 9 de Outubro de 2008

A propaganda das medidas do senhor engenheiro

 

A PROPAGANDA DAS MEDIDAS
DO SENHOR ENGENHEIRO
 
Agora sim um senhor engenheiro
Contou a sua versão da crise
E no que depreendemos da conversa tiramos a conclusão
Que o governo do senhor engenheiro
Não tem culpa desta situação
 
A culpa não é deste tempo
Vem de décadas mal ajustadas
O senhor engenheiro é por isso uma vítima
De politicas por ele não criadas
 
Agora com as medidas que o senhor engenheiro tomou
Os portugueses com problemas
Escusam de ficar descansados
A crise vai-se acentuar
E a cada dia que passa ficarão mais pendurados
 
O banco europeu baixou a taxa de juros
Mas vai acontecer como nos combustíveis
Estaremos à espera que desçam
Quando descerem são invisíveis
 
Porque neste país tudo o que sobe
Tarde ou nunca volta a descer
Perde o caminho de volta
E só empurrado pode acontecer
 
Olhem para o desemprego nunca mais baixou
O encerramento das empresas nunca mais parou
A subida dos combustíveis é como se vê
E o custo dos bens essenciais também ele aumentou
 
O senhor engenheiro agora tomou medidas
Que fazem as páginas dos jornais
Mas até que surtam efeitos
Já os portugueses não aguentam mais
 
Os políticos todos falam muito bem
Porque não sentem a crise e têm lá o ordenado
Se tivessem que ir à procura dele
Já não havia ninguém desse lado
  
Se os senhores que nos governam
Sentissem o que é faltar o dinheiro ao fim do mês
Veriam o cidadão que arrisca de outra maneira
E sentiriam na pele a situação do povo português
 
Mas agora falam até nas pequenas empresas
Mas falam só por falar
Porque nunca quiseram saber delas
E agora que estão falidas jamais se irão equilibrar
 
Mas são as pequenas empresas
Que sempre garantiram a maioria dos empregos neste país
E hoje os empresários que arriscaram
Estão hoje como se diz
 
Muitos arriscaram o que tinham e que não tinham
E tudo acabaram por perder
Agora andam à deriva
E nem o desemprego podem ter
 
Graças á nossa máquina fiscal
Que é generosa para quem não consegue fugir
Deixando fugir os grandes
E pondo os pequenos a tenir
 
Luís Pragana
09-10-2008
 
publicado por Lausinho às 11:43
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim

Abril 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Sempre a assapar...

blogs SAPO

subscrever feeds