Posts recentes

História ou Lenda

Deixei lá a minha alma!

O ORÇAMENTO PARA GÉNIOS

O PODER DA OPINIÃO

A POBREZA

A ilusão do sonho ...

As Religiões e Deus

O COELHO DA CONSTITUIÇÃO

As Torres Gêmeas

Casa Pia

Arquivos

Abril 2011

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Quinta-feira, 14 de Agosto de 2008

A voz da poesia

 

A VOZ DA POESIA
 
A minha poesia dá voz
A este poema que escrevi
Palavras de sentimento
Fi-lo a pensar em ti
 
Ó vida que tanto me deste
Mas nem tudo aproveitei
Fiquei com o amor da mulher
Companheira que sempre amei
 
Não passarei de um falhado
Mas quem me poderá julgar
Tentei fazer melhor
Só que não bastou para lá chegar
 
Poeta jamais serei
Mas imagino-me a divagar
Nesta terra onde fiquei
Enquanto por cá andar
 
Não é uma voz moribunda
Faz parte de uma melodia viva
De uma música profunda
A voz da minha poesia
 
Luís Pragana
23-03-08
 
publicado por Lausinho às 16:29
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim

Abril 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Sempre a assapar...

blogs SAPO

subscrever feeds