Posts recentes

História ou Lenda

Deixei lá a minha alma!

O ORÇAMENTO PARA GÉNIOS

O PODER DA OPINIÃO

A POBREZA

A ilusão do sonho ...

As Religiões e Deus

O COELHO DA CONSTITUIÇÃO

As Torres Gêmeas

Casa Pia

Arquivos

Abril 2011

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Segunda-feira, 22 de Junho de 2009

A Sé incomoda os automobilistas

 

A SÉ DA GUARDA
INCOMODA OS AUTOMOBILISTAS
 
Depois de muito matutar e pensar
Para resolver este dilema
Cheguei à conclusão que o Lago da Sé
Sem estacionamento é uma pena
 
Pensei ponderei, massacrei o cérebro
Até que por fim vi a luz
Porque não deslocalizar a Sé
Resolviam o problema dos automóveis e de quem os conduz
 
Só assim se podia realizar
O desejo dos comodistas que o carro querem mostrar
Davam férias ao D. Sancho
Porque estes senhores andam a irritar
 
O Largo fica mais aberto
Com um bom lugar para estacionar
Arranjam também uns pontos de água
Para estes senhores porem estes carros a brilhar
 
Assim os comodistas ficam contentes
E outros eventos podiam organizar
Como fazer a limpeza do Largo
Os cidadãos iam adorar
 
Senhor presidente do Igespar
Debruce-se neste problema
Livre a praça velha da Sé
Trate pois de repensar este problema
 
Luís Pragana
22-06-2009
 
 
publicado por Lausinho às 15:26
link do post | comentar | favorito

Tempo sem tempo

 

TEMPO SEM TEMPO
 
Estou à frente do meu tempo
Estarei a alucinar
No meu momento o tempo
Vagueia ao luar
 
Neste tempo estou sem tempo
Mas a exaustão do momento
O discernimento do tempo
O momento está sem tempo
 
É na galáxia do tempo
No tempo sem sofrimento
E no momento que o tempo
Se esgota a qualquer momento
 
No tempo que o tempo tinha
Agora o tempo não tem
O tempo limita o tempo
Não tem tempo mais além
 
Procuro dentro do tempo
O tempo só tempo tem
Mas o tempo deste tempo
Pois o tempo esgota também
 
Mas o tempo tempo passa
O momento passa também
Porque o tempo esgota o tempo
Num futuro que o tempo não tem
 
Luís Pragana
22-06-2009
 
 
publicado por Lausinho às 15:26
link do post | comentar | favorito

Que saudades

 

QUE SAUDADES
 
Convidaram-me para uma festa
Até vim de lá irritado
Eram tantas as misturas
Que fiquei agoniado
 
Tenho uma mente avançada
Mas custa muito a habituar
Quando alguém de nossa casa, casa
Leva já um membro para acompanhar
 
Mas que grande confusão
Parecia uma salada russa
Filhos de pais diferentes
Gente muito confusa
 
Uns são filhos do pai
Outros são filhos da mãe
Vivem todos em conjunto
Sem saberem quem é quem
 
Fiquei até com saudades
Do tempo que eram todos irmãos
Filhos do mesmo casal
Não era esta confusão
 
Mas os tempos mudaram
É a época do casa descasa
E como esta moda pegou
Ninguém sabe quem vai dormir lá a casa.
 
Luís Pragana
22-06-2009
publicado por Lausinho às 15:18
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 1 de Junho de 2009

A árvore dos milhões

 

A ÁRVORE DOS MILHÕES
 
Estava com os azeites
Começou a deitar fora
Do interior da oliveira
Foi saindo muita jorra
 
O tempo já ia longo
Tiveram que a aguentar
E o azeite soltava-se
Teimava em não secar
 
Foi alagando o lugar
Jorrava de tal maneira
Que num loureiro acabou
Por se entranhar
 
Este fio de azeite peganhoso
De oliveiras já velhas
Agarraram-se ao loureiro
Que foi ficando com as folhas amarelas
 
O loureiro bem tratado
Num terreno bem cuidado
Mas as galhas da oliveira
Apanharam-no já está contaminado
 
Robusto como é
Os ramos tenta sacudir
A oliveira peganhenta
Que teima em o consumir
 
Luís Pragana
01-06-2009
 
 



Quantcast

publicado por Lausinho às 10:22
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim

Abril 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Sempre a assapar...

blogs SAPO

subscrever feeds