Posts recentes

História ou Lenda

Deixei lá a minha alma!

O ORÇAMENTO PARA GÉNIOS

O PODER DA OPINIÃO

A POBREZA

A ilusão do sonho ...

As Religiões e Deus

O COELHO DA CONSTITUIÇÃO

As Torres Gêmeas

Casa Pia

Arquivos

Abril 2011

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Terça-feira, 11 de Março de 2008

O Mar

 

O MAR
 
Bem cedo pela manhã
É bom espreitar o mar
Azul parece o céu
Com as águas a transbordar
 
É uma enorme mancha azul
Bonita em qualquer momento
Sinto-me paralisado
Neste tão belo deslumbramento
 
O mar aclama-nos a fúria
Dá magia ao coração
E o rebentar das ondas
Cria uma estranha emoção
 
Dá vida a milhões de seres
Que ali ganham o seu pão
Vão-no enchendo de veneno
Tratando-o com ingratidão
 
Por vezes ele surpreende
Com o seu ar de revolta
Destruindo e alagando
Tudo o que está à sua volta
 
Chegam as marés vivas
Olham-no com um certo desdém
Mas mesmo com a sua fúria
Todos os amam também
 
Luís Pragana
18-02-08
 
publicado por Lausinho às 15:34
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 10 de Março de 2008

A Leitura

A LEITURA
 
São livros milhares de livros
Onde se aprende o saber
Uns são grandes outros pequenos
São para quem os quiser ler
 
Cheios de pó e amontoados
Com milhares de histórias para contar
Esperam a qualquer momento
Que algum leitor as vá buscar
 
Alguns andam maltratados
Porque andam de mão em mão
Não há lugar nas estantes
Estão amontoados no chão
 
Outros há que não param
Andam num corrupio cerrado
São os que estão mais em moda
Não os deixam sossegados
 
Muitos livros estão tristes
Porque são postos de lado
Perdeu-se o gosto pela leitura
Ninguém lhes tem tocado
 
Mas o gozo da leitura
Só quem lê pode comparar
Sentir a alma do livro
E deixarmo-nos levar
 
O feitiço é de tal maneira
Não nos deixa nem pensar
Ficamos agarrados à leitura
Não há maneira de nos libertar
 
Luís Pragana
10-03-2008
 
publicado por Lausinho às 17:52
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 7 de Março de 2008

A Chaminé

 

 

A CHAMINÉ
DA LEGIÃO PORTUGUESA
 
Símbolo no Estado Novo
Ventos fortes e nevões
Pelo tempo tem passado
Tempestades e desilusões
 
No tempo áureo da legião
Via-se o seu fumegar
Com a chegada da revolução
O fumo deixou de brotar
 
Orgulhosa e resistente
Continua firme no lugar
A casa está a cair aos bocados
Mas teimosa quer lá continuar
 
Os seus dias de glória
Por cá não deixaram saudades
Continua bela como sempre
Mesmo a cair com a idade
 
Mas não deixa de ser bela
Esta linda chaminé
Sem futuro já se sabe
Mas continua em pé
 
Como sou observador
E gosto muito de história
A chaminé da legião
Ficou-me registada na memória
 
Mas como o tempo não perdoa
E a casa está sem solução
Esta orgulhosa chaminé
Não tarda estará no chão
 
É o último vestígio da legião
Um símbolo da repressão
Que permanece na Guarda
Fora da realidade não passa de uma frustração
 
Sempre fui contra a demolição
Da memória da nossa cidade
Porque as novas gerações
Têm o direito a conhecer a verdade
 
 
Pragana, Luís
07-03-2008
 
publicado por Lausinho às 11:24
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 6 de Março de 2008

Precisam-se de ideias

PRECISAM-SE DE IDEIAS
PARA APROVEITAMENTO DE MÃO-DE-OBRA QUALIFICADA
 
Vem aí o TGV
Mas a frota da Refer terá que se reformar
Será que vão fazer tudo no estrangeiro?
Não ficaria mais barato uma empresa criar?
 
O país não terá capacidade
Para as carruagens e vagões fabricar?
E assim muito do dinheiro a investir
Acabaria por o país beneficiar
 
Os patrões que tanto se queixam
De não ter pessoal especializado
Dão-se ao luxo de não aproveitar
A mão-de-obra qualificada, que está no desemprego
 
Muita da mão-de-obra qualificada
Que saiu da Bombardier e outras por aí fechadas
Da Opel e muitas outras
Deviam ser aproveitadas
 
Se não aproveitam os recursos existentes
O porquê da qualificação
Sem emprego e sem rumo
Para que trabalho servirão
 
Não haverá neste quadro de apoio
Subsídios para poder fundar
Uma empresa do género da Bombardier
E os operários especializados começassem a trabalhar?
 
O país vai necessitar de renovar comboios
São milhões e milhões de euros a investir
Se muitos desses milhões pudessem cá ficar
Outras empresas poderiam surgir
 
Haja vontade política
E o investimento aparece
Arranjem condições para quem tem mérito
Porque este povo bem o merece
 
Sei que isto não passa de um sonho
De um cidadão preocupado
Mas é apenas um alerta
Ou será apenas ideia de um tresloucado
 
Mas era bom que assim fosse
E o país não adormecesse
E fosse aproveitando os recursos
Doesse a quem doesse
 
Pragana, Luís
06-03-2008
publicado por Lausinho às 15:53
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim

Abril 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Sempre a assapar...

blogs SAPO

subscrever feeds