Posts recentes

História ou Lenda

Deixei lá a minha alma!

O ORÇAMENTO PARA GÉNIOS

O PODER DA OPINIÃO

A POBREZA

A ilusão do sonho ...

As Religiões e Deus

O COELHO DA CONSTITUIÇÃO

As Torres Gêmeas

Casa Pia

Arquivos

Abril 2011

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Sexta-feira, 9 de Novembro de 2007

COMPLICAÇÕES

COMPLICAÇÕES
 
A vida está complicada
Não sei se aguentarei
Fui investindo dinheiro
Que jamais recuperarei
 
Nesta altura da minha vida
Era para estar descansado
Mas como não consigo estar quieto
Acabei por ficar pendurado
 
Os portugueses não têm poder de compra
Dia a dia vêm a piorar
E hoje só compra casa
Os que a podem pagar
 
Com a crise lucram os bancos
São os únicos a ganhar
E quem empréstimos pediu
Tenta-se desenrascar
 
Trabalho com honestidade
Nunca sequer imaginei
Quem houvesse tamanha crise
No pais que sempre amei
 
Luís Pragana
01-11-07
 
 
publicado por Lausinho às 17:30
link do post | comentar | favorito

AOS SAUDOSISTAS

AOS SAUDOSISTAS
 
O fascismo e salazarismo
Analfabetismo e incerteza
São memórias de um tempo perdido
E o nosso povo vivia uma enorme tristeza
 
A sociedade de então
Havia os muito ricos e os pelintras
Com o compadrio da religião
Com pobres e os desgraçados não se importavam não
 
Nessa época não distante
Não faltava a natalidade
Mas com a miséria que havia
Morriam de tenra idade
 
Famílias numerosas havia
Não havia televisão
Depois vinham os filhos
O problema era a alimentação
 
Mas o tempo não parava
A vida tinha que seguir
Mas na década de sessenta
O fenómeno da emigração começou a surgir
 
Houve milhares que se aventuraram
Muitos cairiam no caminho
Mas os que conseguiam alcançar
Lá arranjaram um cantinho
 
O nosso país era cinzento
A garotada não podia brincar
Mal se ganhava para comer
Quanto mais para estudar
 
Esta neblina cinzenta
Saudades, não deixou por cá
E os que sentem saudades
Deviam voltar para lá
 
Não censuro os saudosistas
Deviam era embarcar
Com as saudades que alguns têm
Só se estão a magoar
 
O fascismo morreu, está enterrado
Mas tratam de o levantar
O ditador apodreceu
E o regime com ele convalesceu
 
Como se pode ter saudade
Duma época de escravidão
Onde os senhores eram reis
Onde a miséria e a ignorância tomavam conta do cidadão
 
Luís Pragana
09-11-2007
 
 
 
 
publicado por Lausinho às 15:59
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 6 de Novembro de 2007

VIDA SEM SENTIDO

VIDA SEM SENTIDO
 
Estou cansado sem ideias
Triste e amargurado
Sinto a estranha sensação
Que a vida está a passar ao lado
 
É com pena e a lamentar
Que vivo neste momento
São tragédias e desgraças
Viver é um sofrimento
 
As pessoas estão descrentes
O clima está saturado
Há sol quando devia haver chuva
O Planeta está cansado
 
As plantas e as árvores estão a morrer
Os rios estão poluídos
As colheitas a desaparecer
E os minerais extinguidos
 
O petróleo está escasso
Há energias renováveis
A água pura desaparece
Já poucas coisas há saudáveis
 
Os animais estão contaminados
Sempre está a acontecer
Ou são as porcas os frangos e as vacas
Com verdade nada se pode comer
 
É assim este dilema
O que podemos fazer
É não pensar em mais nada
Deixar a vida correr
 
Luís Pragana
06-11-2007
 
 
 
publicado por Lausinho às 11:59
link do post | comentar | favorito

ESCREVER É UM HOBBY

ESCREVER É UM HOBBY
 
Ó se a minha vida fosse escrever
Muito haveria para contar
Mas só escrevo quando posso
Pois tenho que trabalhar
 
São apenas desabafos
Que teimo em escrever
Quando escrevo fico leve
Por isso tenho de o fazer
 
Por vezes são coisas chatas
Mas tenho de as dizer
Vagueiam pela minha mente
Até que as consiga escrever
 
Como o trabalho absorve
o meu tempo de lazer
Sempre que posso escrevo
Dá-me algum prazer
 
E assim cá vou andando
Gosto muito do meu ser
As palavras vão saltando
Parece mais um dever
 
Luís Pragana
06-11-2007
 
publicado por Lausinho às 11:58
link do post | comentar | favorito

SUGESTÕES

SUGESTÕES
UM MUSEU PARA SALAZAR
 
Quer queiramos quer não queiramos
Nada o pode limpar da história
Salazar e o fascismo governaram a nação
E as novas gerações têm direito à memória
 
Agora que muito se fala
Na construção de o museu Salazar
Pois construam um museu
Para o saudosistas calar
 
Já que a saudade os não larga
Façam pois o museu
Divulguem às novas gerações
O que este povo sofreu
 
Mas não lapidem a história
Mostrem como massacraram
Nas cadeias do regime
Divulguem como os torturam
 
Os bufos eram uma praga
Que ficavam entranhados
Os PIDES nós conhecíamos
E os vermes surgiam de todos os lados
 
Faz parte da história contemporânea do país
Não pode passar ao lado
Salazar e o fascismo
Tem que ser divulgado
 
As perseguições e os medos
Pairavam em todo o lado
Levavam-nos a meio da noite
O medo estava instalado
 
 
Luís Pragana
06-11-2007
 
 
publicado por Lausinho às 10:58
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim

Abril 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
blogs SAPO

subscrever feeds